Sobre aprender a ganhar

11665583_10200542911492719_6219380568495972368_n

A gente sempre está tentando acertar na vida .

Normalmente a gente consegue muita coisa frutos nos nossos esforços com o trabalho , com os estudos , com as pessoas , mas quando aquilo que queremos não funciona a gente sente que “perde”.

Quando a gente se dá mal em alguma coisa normalmente procura ajuda , procura conselhos , algo que console o fato terrível que “perder” pro ser humano .

Então as almas um pouco mais evoluídas que gostam da gente dizem ” tudo tem seu motivo de ser ” , “isso era necessário para seu crescimento” e com nossas frases e companhias de auto-ajuda vamos aprendendo a ser bons perdedores. Um dia aquela coisa que parecia terrível nem dói mais , já passou , já sarou , feito machucadinho de criança com mercúrio laranja (crianças dos anos 80) e band-aid . Ardeu , doeu , mas passou .

E eu que gastei todo meu tempo e minhas lágrimas aprendendo como era perder na vida fiquei pensando que ninguém nos ensina a ganhar .

Todo mundo sabe lidar com seu lado “pobre coitado” e existem um monte de recursos pra isso : amigos , apoio, chocolate , terapia , rivotril … A lista se estende.

Mas e pra lidar com seu lado vitorioso ? Você sabe ganhar na vida ? Ou melhor , você já aprendeu a receber ?

Então , eu,  nessa minha eterna busca de ser a perdedora bem resolvida decidi viajar mais uma vez (pra variar ) porque quem já me conhece sabe que esse e meu melhor band-aid .

Só que dessa vez a idéia era ficar na casa das pessoas e o roteiro incluía encontrar amigos velhos e me jogar no mundo pra fazer novos amigos.

Todo mundo sabe que a timidez e algo desconhecido em meu mundinho e viajar também não é novidade , mas cada viagem é um antes e depois e com essa não foi diferente .

Esta viagem poderia ter muitos nomes mas um deles se chama “aprender a receber ” .

Eu literalmente recebi casa , comida e roupa lavada . Passei por casas de família totalmente distintas com seus hábitos e costumes (foi pra mim quase um estudo antropológico) e em cada uma fui tratada com todo amor e carinho . Convivi com as pessoas , aprendi com elas .

Eu também recebi muitos presentes materiais . Só que existe uma grande diferença entre receber um presente caro que foi dado pra te impressionar e presentes singelos que foram pensados pra você e por você .  Todos os meus presentes materiais foram pensados pra mim e foram amor em forma de matéria : um par de xícaras , passagens de ônibus , um anel , livros , um porta-retrato de câmera , uma caixa de bolo de rolo , brincos , uma tiara colorida, um chaveiro em forma de borboleta  , muitos jantares , chopps, almoços , lanches, cafés da manha, ingresso vip pra show , uma passagem de ida e volta pra Jericoacoara …. E a parte mais legal de ganhar era que eu não estava esperando , eu fui surpreendida .

Eu recebi gestos de carinho de todo tipo : passeios , carona pra rodoviária , carona pro aeroporto , carona pra praia, abraços , sorrisos , boas vindas , convites pra festas , convites pra comer na casa de pessoas que sequer tinha visto , e até na televisão eu fui parar ! Que legal porque meu sonho era ser famosa e todo mundo sabe disso haha .

Fui recebida na casa de pessoas que não me conheciam e que se ofereceram pra me receber por pura gentileza pelo simples fato de já saberem quem eu era através das redes sociais .

Aprendi sobre as relações convivendo com casais , recebi gentilezas de homens e mulheres que me deram coisas e gestos sem esperar nada em troca.

Eu ganhei novos amigos que conheci nos aviões  , no ônibus , na festa junina, no forró , ganhei os amigos dos amigos …

Ganhei novos destinos e novos lugares favoritos no mundo .

Ganhei tantos pores do sol quanto o pequeno príncipe tivesse sonhado .

Ganhei alunos de fotografia , clientes , seguidores do meu trabalho .

Eu fiquei pensando : nossa quanta coisa boa , eu nem dei nada e recebo tudo isso ?

Mas a verdade é que eu não estava acostumada ganhar e ser presenteada . Depois das perdas fica parecendo que tudo e negativo , só que não .

E a outra verdade é que isso tudo só foi possível graças ao simples fato de que me dei conta que dei muito ! Dei amor , amizade , trabalho . Tudo que fiz foi sempre com amor e entrega . Quando veio o momento da colheita me senti surpresa mas a verdade é que colhemos o que plantamos .

Valeu a pena trabalhar estes últimos dois anos arduamente pra me sustentar materialmente e moralmente . Enquanto fui crescendo como pessoa estava jogando sementinhas de amor por aí e quando a prestação  de contas chega ( porque chega sempre pra todos nós ) a gente se da conta de quanto esforço colocou em tudo .

Minha viagem foi uma grande colheita com cara de grande festa e só então pude dimensionar que o que damos pro mundo nunca é em vão. A lei do retorno é sempre infalível .

A gente aprende a suportar e entender a dor , mas agora estou aprendendo a suportar e entender o AMOR .

E assim , meu ser vai se preparando pra receber tudo com plenitude.

Só quem sabe dar e receber pode chegar a um equilíbrio bacana .

Às vezes quando as pessoas ficam sozinhas não suportam a amedrontadora solidão e  aceitam qualquer coisa em troca de falsa companhia .

Este processo me ajudou a sanar meu interior porque agora eu sei o que e ser amada e bem tratada pela vida então vai ficar fácil suportar o amor verdadeiro quando ele chegar pra completar os buraquinhos  que faltam . O amor dos amigos e dos desconhecidos me ensinou que nos recebemos de fora aquilo que já existe em nós mesmos .

Tudo está interligado.

O universo nos pertence e estou feliz de fazer parte dele junto com vocês .

Texto escrito no iphone viajando no ônibus de Jijoca de Jericoacoara pra  Fortaleza

Meu pôr-de-sol favorito pra todos vocês que me acompanham na vida !

A vida nos dá essa chance de ver novos atardeceres ❤

DSC_7494

Anúncios
Sobre aprender a ganhar

Argentina – Bolívia – Chile

Oi gente !

Um resumo da minha trip !

Na ordem  : Salta – La Quiaca – Villazón – Uyuni – Salar de Uyuni – San Pedro de Atacama

Enjoy !

Dias maravilhosos atravessando o deserto e acompanhada de bons amigos !

América Latina inesquecível !

Argentina – Bolívia – Chile

San Pedro de Atacama – Chile

Oi gente !

Vida corrida ,mas aproveitando a preguiça do meu sábado sem casórios conto pra vocês um poquinho da minha viagem pro Atacama.

Depois de atravessar o deserto de Bolívia finalmente chegamos a San Pedro de Atacama. A travessia da fronteira foi feita em transfer e tem apenas 47 km de distância.

Passamos pelas migraciones e o transfer deixa a gente na entrada da cidade , de onde fomos a pé até nosso hostel.

Andar pela cidade já um flash porque de lá mesmo você consegue avistar um monte de vulcões nevados da cordilheira e acordar de frente pra vulcões foi uma coisa que me impactou.

IMG_4464

Algumas pessoas falam que Atacama é Atrapama porque você chega e dá vontade de ficar.

Eu estava muito cansada pelo mal de altitude e a verdade é que aproveitei meus 5 dias por lá pra descansar e curtir a vibe da cidade. E nosso hostel Casa Ecoexplorer era uma casa ecológica super agradável onde passávamos horas curtindo um café , uma almoço caseiro o um marasmo. Era nossa casinha do deserto. ❤

IMG_0973IMG_4475

IMG_4619IMG_4629

 

De tarde íamos bater perna pelas ruas da cidade e normalmente todos os turistas circulam pela calle Caracoles.

DSC_3091

DSC_3107

DSC_3126

DSC_3128 DSC_3133

DSC_3166

DSC_3140

 

Comer em Atacama é ótimo também. Lembrando que o Chile é muitooooo mais caro que a Bolívia e um menu do dia em San Pedro custa de 8.000 a 13.000 chilenos . No Barros que era nosso bar preferido tinha menu mais barato de até 4.000 chilenos. (cambio 1 dólar = 615 chilenos)  .

A parte boa é que a comida e gostosa e tem muitas opções estilo gourmet / chef com influências de cozinha peruana e mexicana também. Ou seja tem de tudo  e come-se bem só não é barato.

Comidinhas delícias 🙂

IMG_4631 IMG_4633 IMG_4634IMG_1130

E óbvio que logo descobrimos qual era a boa da cidade e passávamos quase todas as noites enchendo a cara no Barros que era um bar frequentado por moradores locais com boa música ao vivo e altos drinks 🙂

DSC_3177

IMG_4607IMG_1109

 

Atacama tem muitas opcões de passeios . Você pode visitar o Vale da Lua , Lagunas Altiplânicas, Vale do Arco Íris, pode observar estrelas, pode andar a cavalo,etc.

Acontece que com o cansaço da Bolívia escolhemos curtir a cidade e não ficar pra lá e pra cá acordando cedo , então o único passeio que fiz e realmente foi imperdível foi o Vale da Lua.

Quando pensei que já tinha visto de tudo , cruzamos essas montanhas “nevadas de sal”. Realmente tudo muito lindo !

DSC_2887

DSC_2893

DSC_2915

DSC_2950

DSC_2977

DSC_2990

DSC_3006DSC_3012

DSC_3025 DSC_3026

DSC_3052

DSC_3056

DSC_3060

DSC_3065

 

 

E esse é o resumo dos nossos cinco dias de vida no deserto.

Essa foto de celular é uma das minhas preferidas da viagem e mostra bem a alegria que nós sentíamos de ser “moradores” de San Pedro de Atacama ❤

IMG_1125

 

Depois pegamos um bus de Atacama pra Salta e cruzamos a fronteira pelo passo de Hama .

O caminho foi incrível porque passa pela quebrada de Humahuaca e 10 horas depois estávamos de volta a Salta pra curtir nossos últimos dois dias de viagem.

Agora nós também temos um vulcão favorito que se chama Licancabur . A nossa trilha sonora da viagem  ia tocando enquanto o vulcão ia ficando pra trás . Foi um momento sublime das nossas vidas.

Atravessar o deserto é uma experiência que transcende o simples fato de viajar.

Coisas ficam pra trás e esse tipo de viagem faz que aprendamos a lidar melhor com os próprios demônios.

Não se pode voltar igual depois dessa experiência.

Estou muito feliz de ter vivido esse sonho ao lado de um grande amigo e descobrir mais dessa América Latina maravilhosa que me apaixona mais a cada dia.

Beijo pra todos vocês !!!

IMG_4678 IMG_4670

 

 

 

 

 

San Pedro de Atacama – Chile

Pra onde você vai?

Buenos Aires, 27 de março de 2015.

00:26

Tô aqui debaixo das cobertas na minha casinha. Baires já ficou frio como de costume. Meu computador como sempre explodindo de trabalho, mas como tartaruga , devagar e sempre vou concluindo minhas tarefas.

Hoje tive uma sessão de coaching maravilhosa onde apresentei a minha contabilidade de jan, fev e mar . Nada mal pra uma pessoa que não tem emprego e vive morrendo de medo de não ter dinheiro. Até hoje (1 ano e 9 meses de vida nova) não tive um momento Sr. Madruga de dever o aluguel. As contas sempre foram pagas,  por mim é claro , e o fato de não ter emprego me obriga a viver em cash com o que tenho no dia . Literalmente ganho o pão de cada dia. Isso é bom. Mamãe acha que eu vivo de férias porque levo uma vida viajante e soltinha , mas expliquei pra ela que ainda não vendi o corpo e se minhas contas estão em dia alguma coisa eu devo fazer pra isso (rsrs)

Quando você escolhe uma vida assim precisa acreditar que a força superior na qual você acredita está no controle . Não é fácil, mas a cada dia estou exorcizando meus fantasmas junto com toda uma vida que eu pensava ser “a minha vida” .

Um domingo estava almoçando com Nico , um dos meus grandes amigos da “minha vida nova” e ele disse: “Y si nos vamos a la mierda?” (que é uma expressão aqui positiva do tipo vamos sem rumo e foda-se , depois a gente vê) .

Aí eu falei olha minha lista tem Bolívia e Chile , quero cruzar o deserto . Você nunca pegou um avião . Então vamos pra Salta (norte argentino) e de lá a gente vai pro deserto de sal ?

Ficamos nervosos e rindo ao mesmo tempo pensando se ia dar certo. Deixei ele em casa e ele disse: Vamos embora tipo Thelma e Louise?

Chegamos em casa e nesse mesmo dia compramos nossa passagem a pagar em mil vezes pra Salta.

12 dias de mochila, dormindo el hostel, com pouco dinheiro e com muita vontade de viver uma grande viagem.

Pra não morrer de medo e de ansiedade planejamos algumas coisas como por exemplo a reserva de alguns hostels do itinerário, algumas passagens e o cálculo de quantas noites aproximadas em cada lugar com uma margem de duas noites de sobra  por causa de imprevistos. Mas fora isso, o universo nos conduz. Deus no comando.

Nosso itinerário : Salta – La Quiaca – Villazón – Uyuni – Salar de Uyuni – San Pedro de Atacama – Salta

argentinabolivia

Comprei uma calça cargo que vira bermuda e no Chile comprei um tênis de trekking pra não morrer quando caminhar . Consegui uma mochila de 80 litros emprestada com um amigo , o Fer (quando mudamos de vida, os verdadeiros amigos permanecem, mas os novos amigos são como “gente da sua tribo” que você acabou de encontrar , portanto é absolutamente incrível a quantidade de amigos viajantes e buena onda que chegaram ao meu mundo, achei meu povo , eu era de Marte, mas devia estar em Saturno e agora que cheguei a Marte to achando os marcianos que são verdes como eu)

Por incrível que pareça para tem gente que acha que viajo muito , mas cada viagem é única e quero experimentar as diversas formas possíveis de realizar uma viagem.

E é a primeira vez que Nico vai voar, mas é a primeira vez que :

*Tomo a decisão de viajar sem falar pra ninguém antes de comprar a passagem , simplesmente resolvi e comuniquei ;

* É a primeira vez que viajo com um amigo ;

*É a primeira vez que vou passar em 3 países de uma só vez e dormindo em hostel em todos os trechos;

*É a primeira vez que vou a Bolívia e ao deserto;

*É a primeira vez que usarei uma mochila;

*É a primeira vez que me obrigo a viajar leve;

*É  a primeira vez que não tenho tudo planejado .

As viagens sempre me deixam ansiosa e feliz . Com medo e com coragem.  São pra mim processos terapêuticos . Formas de seguir o meu caminho. Formas de sanar. E sinto que tem uma penca de gente que me acompanha nas minhas loucas idéias ainda quando viajo sozinha.

E quando é a hora de partir?

Minha semana foi complexa . Muitas contas pra pagar. Meu advogado me avisou que  ainda não pode dar entrada no meu divórcio porque meu ex marido não assina o papel (Gente, ainda isso? Abre uma skol por favor !)  Fiz dieta a semana a toda e não emagreci nem um gramo. Mas convenhamos que nada disso é problema . E como decidi ser abençoada na vida , não vou esperar ter tudo resolvido pra partir . Simplesmente VOU PARTIR .

Fui ali e volto já .

11057265_910423162340433_924260103237616986_o

Só que tem uma coisa . A mochila vai mais leve. A  mochila não pode ir cheia porque tem que ter espaço pra trazer alguma coisa. A mochila tem que ter o mínimo necessário. Alguma coisa tem que voltar comigo e já escolhi as coisas ruins que quero deixar nesta viagem.

E neste momento de limpeza corporal e espiritual tenho que dizer que é maravilhoso abandonar o que já não serve mais . Isso pode inclui excessos, chocolate, pessoas tóxicas, palavras que amaldiçoam  gordura, raiva, ressentimento, ódio, mágoas, impaciência, descrença em mim .

Queridos , obrigada pela companhia que me fizeram tantos anos, mas dessa vez vocês não cabem na mochila !

E com essa viagem aprenderei a carregar apenas o peso essencial.

Logo conto pra vocês.

Pra onde você vai? Eu vou ser feliz !

Nico, dame la mano y vamos a darle la vuelta al mundo !

(nossa trilha sonora desta viagem e da vida)

Pra onde você vai?

Sobre viajar sozinha

Oi gente ! Muito feliz com a estréia do meu super blog pessoal !

É uma alegria enorme saber que as pessoas se identificam e me dei conta que levo jeito pra contar meus podres com glamour kkkk (e minhas alegrias também ).

Vou escrever algumas considerações sobre viajar sozinha.

A primeira vez que vivi essa experiência foi aqui na Argentina. Vim com os amigos pra Buenos Aires quando ainda morava no Rio e quando passamos a virada fui sozinha pra Mendoza e Córdoba. Tinha uns 20 e poucos anos e estava super assustada, mas encarei.

Primeiro que no Brasil quando você fala que vai viajar sozinha, algumas das minhas amigas me olham como se eu fosse alguma aberração da natureza rsrs  e tipo muita gente que me olha com espanto tá sem namorado e sem companhia pra viajar e aí é quando eu pensei : Meu Deus, eu tenho que abrir mão do que eu quero porque não tenho companhia ? É o fim dos tempos , né?

Na minha primeira viagem sozinha eu senti muitos medos, me senti estranha e aquela solidão que te persegue quando você tá encalhada te pertence querida, então saiba que ela vai na mala com você porque o sentimento interno não depende do espaço geográfico.

Elizabeth Gilbert conta no seu livro que quando chegou na Itália teve momentos em que “dialogou” com sua solidão . E a solidão olhava pra ela e dizia : que foi querida achou que ia se livrar de mim?

Está sozinha ok, está se sentindo só e mal com isso vai pra terapia flor, porque a viagem não vai sarar essa parte.

Ah mas voltando a viagem descobri umas coisas geniais .

Numa viagem sozinha , você raramente está só , só se quiser. Parece que estar disponível ao universo faz você topar com gente o tempo todo e falar com elas naturalmente.

Pra viajar sozinha e quanto tô na pista eu escolho hostel. É uma forma maravilhosa de interagir com gente interessante. Dá medo a primeira vez, mas aí você descobre que TODOS  ali estão como você curtindo uma viagem. Os gringos normalmente poupam dinheiro e viajam pela América Latina 4, 6 , 8 meses e até um ano. Enquanto nós brasileiros fazemos um drama pra viajar 10 dias os caras e as meninas ficam rodando meses e depois voltam pra seus países pra seguir a vida. Então esse é o tipo de gente que você vai topar se for pra um hostel.

Isso sim, fale espanhol ou portunhol e definitvamente fale inglês . Se você não fala nada disso pode viajar sozinha também mas vai perder de tomar cervejas com muita gente porque é são os idiomas universais pra viajar. E os carinhas que vão te dar mole provavelmente vão falar : Hi , where you from?

Prepare-se psicologicamente pois entre tantas coisas que me aconteceram em um hostel , minha primera noite foi num quarto com duas professoras de ed. infantil da Suíça e um cara da Lituânia. Pânico: Onde fica a Lituânia?

Mas que bobagem, geral viajando e nem aí pro que você tava fazendo.

Uma noite tava e arrumando pra “night” de Mendoza e a Suíça fala : please don’t bring your man here ! Oi????? kkkkkk  Deve ter gente que bring seu man no quarto coletivo do hostel né? Vai saber !Nunca vi kkk

Um dia fui tomar banho no banheiro que era longe do quarto. Esqueci a toalha . E falei : Manhêêêê , quero minha mãe pra me dar a toalha. Fiquei tão nervosa que minha escova de dente voou e caiu no ralo. É a vida como ela é . Claro que hoje já sou uma mocinha e esses pânicos iniciais não existem.

A outra coisa que descobri viajando sozinha é que todos os destinos turísticos tem os passeios clássicos pra fazer então se você está preocupada com isso em qualquer lugar que chega tem o menu de opções da recepção pra escolher o que fazer e onde ir.

Então enfrentei todas as minhas crises mas me senti Indiana Jones versão South America 🙂 E assim foi a minha estréia ! Ano de 2007 .

dsc04978

dsc04991

dsc05037

dsc05043

dsc05226

Uma vez cheguei em Maceió as 5 am. Falei pro cara do hostel : Eu vi que dá pra mergulhar com os peixinhos em Maragogi. Ah querida dá sim a excursão passa as 8 . Se arruma lá. Tipo o avião chegou as cinco e às dez da manhã eu tava no fundo do mar de Maragogi ❤

A verdade é que fazia séculos que eu não viajava sozinha a não ser pro Rio de Janeiro que todos sabem que é minha cidade , então nem conta rs .

Esse ano não sabia o que fazer pra comemorar meus 35 anos e resolvi me dar de presente uma viagem ao Peru.

Na verdade o destino me escolheu. Porque quando eu cismo com algum lugar parece uma coisa mágica. Toda a informação , as pessoas e as coisas estão associadas a esse lugar. De uma hora pra outra até o casal de noivos que veio me contratar era peruano. Pensei : tá me chamando , vou lá.

Depois eu conto em detalhes o que foi minha viagem pro Peru. Aliás o que é o Peru ? In love total, Ganhou meu respeito , meu amor e meu estômago. O melhor lugar gourmet ever. A minha versão comer, rezar e amar latino americana vai começar por Lima. Fato.

Hoje em dia com tantos blogs fica mais fácil se jogar. Entrei em contato com a Emmanuele Tessinari do blog Cup of Things e foi a melhor guia do mundo pra conhecer Lima na palma da mão mesmo em pouco tempo. Fiquei devendo uns dias pra Lima e vou voltar.

Depois segui pra Cusco sozinha e fiquei no hostel Milhouse que virou minha casa em Cusco . Claro que na pista e com vontade de zoar não podia ter escolhido melhor lugar porque o hostel era gigante e tinha um bar. Conclusão Cusco nights a mil por hora. Só tinha brasileiro naquela porra kkk e toda noite rolava festa , até funk rolava e aquele povo doido virou minha família pra passear. Você NUNCA ESTÁ SOZINHA  quando viaja sozinha, acreditem.

Com a Manu em Lima!

Lima_069

Com Nicole de Lima e Luk da Croácia em Cusco ❤

DRI_1300

Com essas pragas de Fortaleza que amo e viraram meus irmãos de passeios e de copo kkkk

DRI_1428

Com a Dani, que é baiana mas mora em Barcelona e participou das minhas aventuras em Ollantaytambo e Cusco 🙂

DRI_1922

Turistando com Lauro e Jonata em Cusco e fazendo Pisco Sour minha bebida favorita !

DRI_2249

DRI_2273

Por segurança e comodidade sempre reservo os hotéis antes de viajar , normalmente uso booking.com e no caso de Machu Picchu reservei os passeios antes também, o que foi ótimo porque da hora que desci do avião até o dia de ir pra Águas Calientes eu estava super orientada e com todos os itinerários ok.

A única coisa que você não pode saber é que grandes surpresas vai encontrar pelo caminho , mas com certeza cada viagem será única e inesquecível.

Enquanto o amor da minha vida não aparece vou continuar viajando sozinha e a verdade é que amo esta grande oportunidade que a vida me deu.

Esse post não é apologia ao feminismo, não pretendo ficar encalhada a vida toda , então se souberem de algo que combine comigo mandem que to fazendo seleção de currículos kkk

Meu próximo destino sonhado pra isso é o México, só me falta-me o detalhe do dinheiro, mas quem tem boca vai a Roma e acredito que também chega no México, né?

Beijo pra vocês !

Adri

Sobre viajar sozinha